Justiça libera dono de carreta que se envolveu em acidente no ES, veículo viajava de madrugada para evitar fiscalizações

Justiça libera dono de carreta que se envolveu em acidente no ES, veículo viajava de madrugada para evitar fiscalizações
junho 26 00:12 2017 Imprimir Este Artigo

A justiça capixaba determinou a liberação do dono da carreta que se envolveu no acidente que resultou na morte de 22 pessoas na BR 101, próximo a Guarari, no Espírito Santo. Ele foi preso na sexta-feira (23), porque para a Polícia Civil,  o proprietário da empresa Jamarle Transportes, Jacymar Pretti, de 63 anos, responsável pela carreta, sabia das irregularidades no caminhão e na carga. O delegado titular da Delegacia de Delitos de Trânsito, Alberto Roque, autuou o empresário por homicídio doloso por dolo eventual – quando há a intenção de matar e responsável não se importa com o resultado e com os riscos de suas ações.

Segundo Roque, a empresa escolheu fazer a viagem durante a madrugada com o propósito de evitar possíveis fiscalizações, já que a carga estava acima do peso permitido. Dessa forma, Jacymar tinha consciência de que prestava serviço com o caminhão em situação irregular.

Além do peso extra, os pneus da carreta estavam carecas e o veículo apresentava problemas mecânicos. Se condenado, Jacymar poderá cumprir a pena máxima de 30 anos de prisão.

Motorista da carreta estava sem descanso

A esposa de Nadson Santos Silva, que era o motorista do caminhão, contou em depoimento para polícia que o marido estava há uma semana trabalhando direto, sem descanso. Ainda segundo a mulher, o motorista virava noites na estrada e estava sob efeito de arrebite – substância muito utilizada por caminhoneiros para ficarem acordados.

A polícia informou que está em busca do irmão de Jacymar, que era sócio da empresa Jamarle Transportes. De acordo com o delegado, ele também pode ser responsabilizado pelo crime.

O dono da pedra que estava sendo carregada pela carreta ainda não foi localizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele está sendo procurado e também pode ser responsabilizado pelas 22 mortes, assim como os donos da empresa.

Prisão

O titular da Delegacia de Delitos de Trânsito informou que a prisão de Jacymar foi em flagrante por não ter sido considerada como apresentação espontânea. Os policiais conseguiram o contato do acusado por meio de um funcionário da empresa. Assim, Jacymar foi convocado a se apresentar, caso contrário seria localizado pela polícia.

O perito criminal Marcus Vinicius Bhering Bragança esclareceu que um conjunto de fatores podem ter provocado o acidente como as condições dos pneus da carreta, o estado psíquico do caminhoneiro e a velocidade que o veículo estava na hora do acidente. O laudo que confirmará a causa do acidente só fica pronto em 30 dias.

A decisão foi da juíza Daniela de Vasconcelos Agapito, da Vara de Iconha, e saiu na tarde de sábado (24)

(Com informações de Elis Carvalho/A Gazeta) 

  Categories:

Ainda não há comentários

Você pode ser o único a iniciar uma conversa .

Adicione um comentário

Your data will be safe! Seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceira pessoa.
Todos os campos são obrigatórios.