Museu Frans Krajcberg é aberto ao público e marca o primeiro ano da morte do artista

Museu Frans Krajcberg é aberto ao público e marca o primeiro ano da morte do artista
novembro 18 12:33 2018 Imprimir Este Artigo

O Sítio Natura na cidade de Nova Viçosa foi aberto para visitação nesta quinta e sexta-feira (15 e 16/11) para marcar o primeiro ano da morte do artista Frans Krajcberg. No local está intacto o Museu Frans Krajcberg e suas obras mais celebradas pelo planeta. O público maior durante estes dois dias de visitação ao local, foi em especial, os turistas que estão na cidade por causa do feriadão da proclamação da república, professoras e alunos de toda região que tiveram visitas guiadas por todo parque artístico.

Mesmo Frans Krajcberg tendo doado todo seu acevo e patrimônio para o Governo da Bahia no ano de 2009 que, tem a obrigação de preservar de tudo que o artista deixou para a história -, Frans Krajcberg lavrou em vida e registrou no cartório de Nova Viçosa no ano de 2015, seis anos após a doação de todo seu patrimônio ao governo do Estado da Bahia, um testamento em que nomeou 5 pessoas que julgou da sua inteira confiança e que mais amou em vida para continuar dirigindo seu patrimônio e preservando sua história, sem que o Estado tenha o direito de destitui-las.

Frans Krajcberg nasceu em Kozienice na Polônia em 12 de abril de 1921 e morreu aos 96 anos de idade no final da manhã de quarta-feira, feriado da proclamação da república, no dia 15 de novembro de 2017, no Rio de Janeiro, onde estava internado há um mês no Hospital Samaritano, na zona sul da cidade. Ele era um renomado escultor, pintor, gravador, fotografo e artista plástico. Era considerado um dos 10 artistas mais valorizados do mundo e o escultor mais importante do planeta. Ninguém defendeu tão bem os animais, a floresta e a ecologia em um tudo como ele.

No final da manhã de domingo do dia 3 de dezembro de 2017, suas cinzas foram depositadas no tronco da árvore que sustenta a sua tão famosa e fotografada “Casa do Tarzan”, no Sítio Natura, na cidade de Nova Viçosa, onde o artista morava desde 1972. Somente no último ano de sua vida, ele deixou de subir a escadaria da casa, após uma recomendação médica. Na cerimônia de imortalidade do artista, inúmeras pessoas importantes da política, das artes, das letras, do cinema, do mercado empresarial, funcionários e fãs expressaram os seus mais diferenciados sentimentos e definições para a vida e obra de Frans Krajcberg.

A exuberante natureza de Nova Viçosa lhe deu o refúgio que buscava, onde morava desde 1972, abrigado na sua fabulosa Casa da Árvore, que ele gostava de chamar de “Casa do Tarzan”, além de ter ficado o seu amplo museu abrigando as suas obras mais famosas que nunca quis vender e que viajou o mundo com ele. O Sítio Natura, onde residiu os últimos 45 anos da sua vida cercado pela única porção de Mata Atlântica remanescente na região, e que tomou para si a tarefa de manter intacta, Frans Krajcberg estava construindo um museu para abrigar suas obras mais famosas. Por meio de suas peças valorosas, ele fez críticas a queimadas, exploração de minérios, desmatamento da Amazônia e desova de tartarugas marinhas.

Por Athylla Borborema –  FOTOS  Bruno Silva

  Categories:

Ainda não há comentários

Você pode ser o único a iniciar uma conversa .

Adicione um comentário

Your data will be safe! Seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceira pessoa.
Todos os campos são obrigatórios.